Além da Civilização

«“Se o mundo for salvo, não vai ser com cabeças velhas e programas novos, mas com cabeças novas e programa nenhum”. Receio que esse seja um caso em que falar é fácil, mas os pensamentos são fugidios. Vou reformular a ideia: se continuarmos como estamos, não vamos continuar por aqui por muito tempo — algumas décadas, um século no máximo. Se ainda estivermos por aqui daqui a mil anos, vai ser porque deixamos de viver como vivemos agora.

Como isso vai acontecer? Como vamos deixar de viver como vivemos agora? É assim que as cabeças velhas pensam em fazer-nos deixar de viver como agora: pensam que vão levar-nos a deixar de viver como agora da mesma maneira que acabaram com a pobreza, da mesma maneira que acabaram com o vício em drogas, da mesma maneira que acabaram com o crime — com programas. Os programas são galhos fincados no leito de um rio para impedir-nos de seguir a corrente. Os galhos atrapalham realmente o curso da correnteza. Um pouco. Mas nunca a impedem de seguir um curso, e nunca desviam o rio.

É por isso que posso prever com a maior segurança que, se o mundo for salvo, não vai ser porque algumas cabeças velhas chegaram com alguns programas novos. Os programas nunca acabam com as coisas que eles se propõem acabar. Nenhum programa jamais acabou com a pobreza, com o vício em drogas, nem com o crime, e nenhum programa jamais acabará com eles. E nenhum programa jamais nos impedirá de devastar o mundo.»

Além da Civilização – Daniel Quinn

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s